quarta-feira, 6 de agosto de 2008

De diários e outras histórias...



Gostei de revirar a minha "caixinha do passado". Nas fotos acima, todos os meus diários - dos 12 aos 18 anos - e o diário mais engraçado de todos os meus: 1992 - Primeiro ano do Ensino Médio. Nossa, ri muito das frases sentimentais ao extremo, das anotações sobre as festas da escola e dos códigos (acho que todas as meninas acabam criando códigos). Na tentativa de ter tudo nos mínimos detalhes, acabava anotando até o que passava na Tela Quente ou a notícia marcante daquele dia. Muito interessante, pois há fatos dos quais nem lembrava mais.
No fundo, sempre gostei de manter o passado vivo de alguma forma. Na infância, eu e o meu irmão enterramos vários dos nossos bonecos - Suzi, Falcon, A Liga da Justiça completa - no pátio de casa, em Guaíba. A intenção era que as gerações futuras descobrissem um pouco da nossa história.
Cada um está enterrado numa caixinha de madeira ou enrolado num tecido com a identificação dos brinquedos e dos proprietários (eu e ele). E não poderemos mais retirá-los pq construímos dois pisos reforçados e duas casas em cima do terreno. Acho que o nosso objetivo dará certo :))) Tomara que daqui a 200 anos algum arqueólogo encontre nossas relíquias...hehehe
Quanto aos meus diários, vou carregá-los para sempre. Toda a minha adolescência, com suas frustações e sonhos, está guardada ali. É uma pedacinho da minha vida que passarei adiante algum dia...


P.S: Tentei dobrar mais a perna, mas tá difícil. Chega num ponto que começa a doer o joelho e não consigo dobrá-la mais. Quinta é dia de retornar ao médico e tirar todas as dúvidas sobre a recuperação. Se precisar, alugarei uma cadeira de rodas. Preciso ver mais vezes o sol e a lua.

Um comentário:

Cynthia disse...

Eu tenho os meus diários guardados até hoje, também. Eles estão todos dentro de uma caixa, com outras coisas, e do lado de fora tá escrito só "Porque a gente tem história, afinal" :)