domingo, 26 de abril de 2009

Não vivo sem ela...

Tirei o domingo para algo que há anos não fazia: lavar roupas no tanque. Eram poucas peças, o dia estava quente e eu sem fazer nada. Então, deixei a máquina de lavar roupas em segundo plano e parti para o trabalho braçal.
Sinceramente, odiei a experiência. E concordo plenamente com um artigo do jornal italiano porta-voz do Vaticano, publicado em março O texto falava que a máquina de lavar pode ter feito mais pela liberação da mulher do que a pílula anticoncepcional ou o acesso ao mercado de trabalho.
Na época, o programa dominical Fantástico, da Rede Globo, apresentou uma matéria abordando o mesmo tema. Confira o vídeo abaixo:

P.S.: Levante a mão quem consegue viver sem uma máquina de lavar!

6 comentários:

Graziela disse...

Tudo bem, pode me apedrejar, eu gosto de lavar roupa :)
Não tenho vocação pra dona de casa full time, mas lavar roupa assim, como minha vó fazia, acho divertido; de vez em quando tá, e no calor, óbvio.
Já passar, detesto, com todas as minhas forças.

Bjos.

Édnei Pedroso disse...

Engraçado, passar roupas, para mim, é uma terapia...

Interessante como a moça do comentário acima e eu combinamos...=)

Aline C. disse...

Graziela e Édnei, mandarei canonizá-los...huahuahaua
Nas tarefas domésticas, só gosto de lavar louça (é a minha terapia).
O resto passo adiante sem piscar!
Bju aos dois :)

prkl disse...

that laundryshot ROCKs!! 8)

Contracena disse...

Eu não me importo de passar roupa..., lavar à mão é que não.

Beijinho.
Fátima.

Aline C. disse...

Fátima. Eu concordo com você. Grande abraço :)