sábado, 11 de abril de 2009

Inspire-se...

Determinados textos da escritora e cronista gaúcha Martha Medeiros me saltam aos olhos. Um exemplo é o que está publicado na coluna deste domingo, no jornal Zero Hora. Fala sobre o filme Divã, baseado em um dos livros de Martha. O mais interessante são os dois últimos parágrafos. Inspiradores, eu diria.
Podes ver todo o texto aqui.
Ou, se quiseres ler o trecho que mais gostei, está abaixo:
"Dores, cada um tem as suas. Mas o que nos faz cultivá-las por décadas? Creio que nos apegamos com desespero a elas por não ter o que colocar no lugar, caso a dor se vá. E então se fica ruminando, alimentando a própria “má sorte”, num processo de vitimização que chega ao nível do absurdo. Por que fazemos isso conosco?
Amadurecer talvez seja descobrir que sofrer algumas perdas é inevitável, mas que não precisamos nos agarrar à dor para justificar nossa existência."

3 comentários:

Lu Bemfica disse...

É o que eu chamo de coerência em gotas. Abre mão do que te faz sofrer que outra porta vai se abrir ali adiante. Às vezes temos dificuldades de reconhecer quando um ciclo se fecha. É a dor da perda. Sofrimento renovador e necessário. Muito bom mesmo o texto de hoje.

contracena disse...

Gostei de ler a Martha Medeiros.
Décadas??? Isso é tempo demais. Mas há perdas difíceis de ultrapassar! Mas o facto é: a vida continua - tem mesmo que continuar.

Beijo.

Kraxpelax disse...

Noncommercial advertisement! Just for once: plain honest no nonsense spam making no pretense being something else, with a real message and an sound errand. See Window Mirror and find out.

666; The Final Solution; and the Claim

http://winmir.blogspot.com/I am not anyone. I am unique.

- Peter Ingestad, Sweden